Com Covid-19 e isolada da família, cantora de São Fidélis lança desafio para músicos: 9 composições em 9 dias

Projeto surgiu como um auto desafio, já que Júlia teria que passar mais nove dias em isolamento até a realização de um novo teste. Agora, ele está reunindo músicos de São Fidélis e até de outras cidades
Fotos: Arquivo pessoal/ Divulgação

Por todo o país, muitos brasileiros diagnosticados com o novo coronavírus vivem momentos de angústia e ansiedade por estarem afastados de seus entes queridos. Para a cantora, atriz e compositora, Júlia Blood, uma das moradoras de São Fidélis, Norte Fluminense, que testou positivo para Covid-19, o período de isolamento também tem sido difícil, especialmente por ter que ficar longe do filho. Segundo ela, os primeiros dias foram piores, mas o tempo sozinha também trouxe bons frutos. Ela conta que pôde refletir, rever conceitos e, como válvula de escape, ela teve a música. “Digo de toda certeza que foi sim minha válvula de escape e de certa forma, reencontro comigo mesmo. Tinha me perdido da música e estava completamente desmotivada. Quando me vi em isolamento e longe das pessoas que amo, me reencontrei com a música. Que foi o que me salvou da saudade de estar com meu filho, de abraçar minha vó e estar perto dos entes queridos” – disse. (continua após a publicidade)

Foi justamente durante esse isolamento que surgiu a inspiração para a criação do projeto “9 composições em 9 dias”, que está mobilizando outros músicos da cidade, da região e até de outros estados. “O projeto começou, inicialmente como um projeto pessoal. No segundo teste continuou dando positivo e eles falaram, ‘você vai ter que ficar mais nove dias em isolamento’. Foi quando falei ‘eu vou aproveitar esse tempo, tentar tirar uma coisa de todo esse caos, de estar separada do meu filho há mais de 20 dias’. Então eu precisava me apoiar em alguma coisa, algo que me colocasse para cima, e a música sempre fez isso comigo. E pensei, por que não, nove composições em nove dias? E fiz esse auto desafio” – relata. Em uma conversa sobre o desafio, uma amiga de Júlia expressou a vontade de também participar, e então veio a ideia de convidar mais e mais amigos. “É um projeto que tem que ser compartilhado, porque não sou só eu passando por essa situação, podem ser outros músicos, outros colegas. Conheço músicos que infelizmente estão estagnados, parados por conta da pandemia, porque não tem show, não tem trabalho e acaba não tendo visibilidade” – destaca. (continua após a publicidade)

Segundo a cantora, o projeto já conta com a participação de Chico Puret (cover do Cazuza), Neto Potiguar, Kamilly Nambar, entre outros cantores. Músicos de Minas, São Paulo, Rio das Ostras e Cabo Frio, também entraram em contato interessados em participar. “Eu acho que a gente pode e deve tirar coisas boas do isolamento. Só que eu sei que é muito difícil. Nem todo mundo tem uma válvula de escape como eu tive, que foi a música. Foi um momento que eu pude refletir, mentalizar exatamente o que eu queria pra minha vida” – frisa. Para aqueles que também estão vivendo a solidão do isolamento, a dica da jovem é trabalhar a mente, se conhecer mais, permitir se amar mais. “Se permita novos aprendizados. Ler aquele livro que você disse que iria ler há meses, mas a rotina do trabalho e da casa não lhe permitiu. Cuidar do corpo e principalmente da mente. Estudar sobre determinado assunto que lhe interesse, aprender um novo hobby. Enfim, investir seu tempo “livre” em algo que agregue sua experiência de isolamento e sempre de forma reflexiva. Aliás, quanto tempo não nos permitimos nos dedicar ao que realmente queremos ou amamos?!” – salienta. Os vídeos do projeto podem ser conferidos no Instagram da Júlia Blood AQUI. Por lá, músicos interessados também podem entrar contato para participar.

VEJA MAIS

VEJA MAIS