Com conta de outubro em mãos e sem água nas torneiras; moradores de São Fidélis continuam sem água

Entre julho e agosto desse ano, vários bairros do município tiveram o abastecimento interrompido por seis vezes. Cadê a água CEDAE?
População reclama do serviço prestado pela CEDAE

Há mais de uma semana, moradores de vários bairros de São Fidélis estão sofrendo com a falta de água e reclamam do péssimo serviço prestado pela Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro, a CEDAE. Todos os anos, seja em período de cheia do rio ou estiagem, a estatal relata estar passando pelo mesmo problema; defeito em bomba. Com isso, os moradores ficam sem água e nenhuma solução é tomada. Os bairros mais castigados pela falta de água são São Vicente, Chatuba, Montese, Parque Tinola, Recanto da Penha, Penha, Santa Terezinha e outros pontos da Vila dos Coroados. Ao SF Notícias, moradores relataram que a conta de outubro já foi entregue, mas a água mesmo, nem uma gota. “Vamos pagar por uma água que não usamos”, disse uma moradora da Chatuba. (continua após o vídeo)

A Josélia Cunha, moradora do São Vicente, relatou ao SF Notícias que precisou sair de casa, já que ela tem três filhos pequenos e não estava conseguindo fazer comida, lavar roupa e outras tarefas do lar sem água. Já uma moradora da Vila dos Coroados contou que está passando por dificuldades com a falta de água e tendo que comprar comida pronta, pois tem uma mãe idosa em casa. “A conta de outubro já foi deixada em meu portão, chegou hoje; mas cadê a água?”, questiona a moradora. Para se ter uma ideia, entre julho e agosto desse ano, vários bairros do município tiveram o abastecimento interrompido por seis vezes, e em cada uma dessas interrupções, os moradores ficaram no mínimo dois dias sem água. Na maior parte das interrupções, foram mais de três dias sem água. Ontem a CEDAE informou ao SF Notícias que havia previsão de que a manutenção emergencial em equipamento terminasse ainda hoje, normalizando assim o abastecimento, mas não foi o que aconteceu. Os moradores continuam sem água.

VEJA MAIS

VEJA MAIS