Com chegada do 5G, antenas parabólicas vão parar de funcionar

Antenas parabólicas e rede 5G utilizam a mesma frequência, o que pode causar interferência. Receptores e antenas menores devem ser distribuídos para quem ainda utiliza antenas parabólicas

O Conselho Diretor da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) aprovou em reunião realizada na última quinta-feira (25/02), o edital do leilão de 5G. Maior oferta de espectro da história da Anatel, a licitação das radiofrequências nas faixas de 700 MHz, 2,3 GHz, 3,5 GHz e 26 GHz proporciona maior volume de recursos de espectro para que as prestadoras possam expandir suas redes. Entretanto, surgiram dúvidas sobre o que acontecerá com aqueles que utilizam a antena parabólica para TV aberta, já que elas utilizam a mesma frequência, podendo causar interferências na rede. O edital do leilão do 5G, entretanto, prevê que as operadoras que comprarem frequências do 5G serão responsáveis por distribuir, gratuitamente, receptores e antenas menores para quem ainda utiliza antenas parabólicas.

continua após a imagem

Imagens: SF Notícias

De acordo com a Anatel, a proposta considerou que a opção pela migração das transmissões de sinais de TV aberta por satélite (TVRO, as antenas parabólicas) para a Banda Ku, melhor atende aos objetivos da política pública objetivada com o certame. Para viabilizar a convivência entre TVRO e sistemas terrestres, a solução da migração dependerá da troca integral de equipamentos de recepção pelos atuais usuários. O prazo para distribuição, aos usuários, dos kits de recepção da Banda Ku será de 18 meses. Assim, haverá transmissões simultâneas dos canais escolhidos na Banda C e no satélite selecionado, durante esse prazo – que pode ser prorrogado mediante decisão do GAISPI, por prazo não superior a 31 de dezembro de 2025.

Segundo levantamento mais recente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de 2017, 6,5 milhões de residências no país ainda contam apenas com a parabólica para assistir à TV. “Faz parte do projeto e está previsto no edital uma troca das famílias que fazem parte do Cadastro Único, dos programas sociais do Governo Federal, a troca das suas parabólicas por sistemas para antenas menores. Esse processo de troca vai ser comunicado, vai ter uma entidade. Vai ter um processo muito similar como foi na troca do sistema da TV analógica para digital. Eles vão receber uma antenazinha e vai ser feita essa troca porque a parabólica vai parar de funcionar uma vez que o sinal do 5g for ativado” – explicou o conselheiro da Anatel, Carlos Baigorri, durante coletiva de imprensa na última sexta-feira (26).

VEJA MAIS

VEJA MAIS