Carta de apresentação – Veja o que você deve evitar na sua

Em meio a tantos currículos recebidos em uma semana, ou até quem sabe em um dia, é comum se deparar com uma carta de apresentação que pode ser um ingrediente a mais para impressionar o recrutador
Imagem: Pixabay

A carta de apresentação, ou também chamada algumas vezes de carta de solicitação, consiste em um documento que serve como um complemento para o currículo. Não é à toa que ela é considerada um diferencial para quem almeja ingressar no mercado de trabalho. Em meio a tantos currículos recebidos em uma semana, ou até quem sabe em um dia, é comum se deparar com uma carta de apresentação que pode ser um ingrediente a mais para impressionar o recrutador. É óbvio que essa boa impressão será o resultado de uma carta bem redigida. Mas afinal, como escrever a carta capaz de colocar você a anos-luz à frente de outros candidatos? Entre as várias maneiras de conseguir isso é saber o que NÃO fazer na hora de escrever o referido documento. Por isso, esse artigo traz alguns tópicos bem interessantes acerca desse tema. Vamos conferir? (continua após a publicidade)

Saiba o que é uma carta de apresentação
Para saber o que deve ser evitado em sua carta de apresentação, é pertinente saber antes que esse documento não é o seu currículo. A carta de apresentação é, na verdade, um elemento a mais para ele. O objetivo dela é trazer algumas informações a mais que tenham o objetivo de salientar as suas qualidades e competências para o cargo desejado. Ou seja, ela não deve repetir o que está em seu currículo, apenas reforçar o que foi apresentado. Por essa razão que uma carta bem redigida pode trazer, de forma sucinta, alguns exemplos de projetos e trabalhos bem sucedidos que você realizou na faculdade, estágio ou em empresas anteriores. Isso é uma maneira prática de destacar as suas habilidades mencionadas no currículo, agregando mais credibilidade para a sua apresentação.

Conteúdo – O que você deve evitar na hora de redigir a sua carta
Ao saber que uma carta de apresentação tem o objetivo de repetir o que já havia sido mencionado no currículo, se torna mais fácil compreender então o que não convém escrever na carta.Nesse contexto, há algumas dicas que ajudarão você a não errar na hora de impressionar a empresa.
Objetivos comuns
Afirmar que o seu intuito é alcançar estabilidade financeira e contribuir para a empresa se destacar no mercado não é muito diferente do que é encontrado em 2120236 currículos por aí a fora. Na hora de salientar os seus objetivos cite alguns breves exemplos práticos do que você já vez em relação a sua área de atuação. Isso sim mostra para o recrutador como você poderá ajudar a empresa.
Explicações a respeito da saída do emprego anterior
Isso não acrescenta em nada na sua apresentação. O foco é mirar no presente e no futuro. Isso é o que interessa para o recrutador. Alfinetar o seu antigo emprego, independente dos motivos que ocasionaram a saída, não auxilia a consolidar uma imagem profissional para você. Lembre-se que quem está analisando o seu currículo não quer saber de picuinhas e detalhes que devem ser resolvidos nos bastidores entre você e os seus antigos patrões. Há algumas situações em que o recrutador talvez solicite que você mencione algo a respeito, mas isso é raro e, por isso, se não solicitado, nem vale a pena mencionar.

Frases pretensiosas
Não é bom confundir confiança excessiva com arrogância. Talvez você, os seus pais e, quem sabe, até outros profissionais, o consideram bastante competente no que faz, porém não soa bem escrever “eu sou o melhor candidato”, “a melhor alternativa” e demais frases. Você pode até pensar que tal postura mostra sinceridade e que isso poderá ser encarado como uma virtude. Porém, é bom levar em conta que tal atitude pode parecer o contrário. A saída é demonstrar confiança com naturalidade, escrevendo de forma objetiva apenas o que realmente é necessário para mostrar as suas qualidades.
Ficar preso no básico
Se cada recrutador ganhasse cinco centavos a cada vez que ler detalhes do tipo “eu sei trabalhar em equipe” e “tenho disposição para aprender”, com certeza eles comprariam uma mansão em uma ilha paradisíaca e não necessitariam trabalhar mais na vida. Entretanto, é óbvio que não precisa citar aspectos totalmente dispensáveis, como o seu time de futebol ou as séries preferidas na Netflix. Tais clichês não enriquecem currículo e não destacam a sua carta de apresentação. Você pode encontrar outras maneiras de dizer que tem interesse, que é esforçado e que sabe trabalhar em equipe.
Sarcasmo
O humor, mesmo que seja criativo e inteligente, tem hora certa para ocorrer e a hora de elaborar uma carta de apresentação não é um momento adequado. Ainda que a vaga seja para alguma empresa movida a criatividade e inovação, como Startups, agências de publicidade, estúdio de TV ou algo assim, é preciso pensar duas (até três) vezes antes de fazer alguma piadinha no currículo. Por isso, é bom não arriscar. Escreva sua carta de apresentação de maneira objetiva e simples.

Forma – Tenha cuidado com a redação
Você já sabe o que deve evitar na sua carta de apresentação. Contudo, de nada adianta ter um formato adequado, ser objetiva e conter apenas informações essenciais se há erros gramaticais. Erros de português e frases mal construídas fazem a sua credibilidade desmoronar como um castelo de areia. Por isso, fique atento para algo fundamental para a sua carta: a revisão. Vasculhe se há erros na escrita, avalie se os argumentos são apresentados de forma clara e breve. Não custa lembrar que a carta de apresentação não é o seu currículo, mas sim um complemento. Por causa disso, é importante que ela apresente, no máximo, uma página. Mais do que isso já é excesso de informação. Além disso, o formato ideal de uma carta de apresentação consiste em:
Introdução – Nesse trecho você se apresenta, cita os seus objetivos e, caso saiba, pode mencionar o nome do recrutador. Isso torna a interação mais personalizada e direta.
Corpo – É onde você reforça as habilidades mencionadas no currículo. Esse é o espaço para você exemplificar, de maneira objetiva e sem delongas, suas capacidades e qualidades. Você pode citar projetos bem sucedidos que já realizou, citar viagens e congressos que participou, porém, sem deixar de lado a objetividade. Lembre-se que o importante é evitar narrar a sua autobiografia.
Fechamento – É onde você, digamos assim, se despede do recrutador. É também o espaço para deixar os seus dados para contato, como o e-mail, redes sociais ou site.

Saber criar uma boa carta de apresentação é indispensável
Ela é um documento importante para destacar as suas habilidades profissionais e pessoais na busca por uma vaga. No entanto, diante da grande concorrência e de inúmeros candidatos – muitas vezes com características semelhantes – é fundamental apresentar um detalhe capaz de ser um diferencial. É aí que a carta de apresentação aparece como uma importante solução. Portanto, para torná-la realmente o diferencial capaz de colocar você dentro de uma importante empresa, siga essas dicas e veja o deve ser evitado na hora de redigir a sua carta. E aí, o que você achou do artigo? Deixe os seus comentários e também compartilhe entre os seus contatos.  

VEJA MAIS

VEJA MAIS