sexta-feira , 25 setembro 2020
Na última semana, um bebê morreu com suspeita da doença no município, que é o segundo do Estado com maior Índice de Infestação Predial de Aedes aegypti

Campos já registra mais de 3.600 casos de chikungunya neste ano

O município de Campos dos Goytacazes segue enfrentando uma epidemia de chikungunya. Até o último fim de semana, já haviam sido confirmados mais de 3.600 casos da doença na cidade, principalmente no distrito de Travessão e nos bairros Eldorado e Parque Guarus.

Na última sexta-feira (14/06) equipes do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) realizaram um mutirão contra o mosquito Aedes aegypti nos bairros Conselheiro Tomás Coelho, Dom Bosco, Parque Alberto Torres, Sumaré, São Clemente, Corrientes e Esplanada. Foram visitados 2.355 imóveis, combatidos 85 focos, recolhidos 61 pneus, 180 sacos de lixo e colocadas telas em oito caixas d’água.

De acordo com a Prefeitura, o trabalho é parte da estratégia de baixar os níveis de infestação de chikungunya no município. Além do combate direto aos focos, também foi realizado um trabalho de conscientização dos moradores, com orientações e distribuição de folders.

Na última semana, um bebê de apenas dois meses morreu com suspeita da doença, em um hospital particular da cidade. Em um dos exames, a criança apresentou resultado de sorologia positiva para chikungunya, mas o exame também apontou a presença de uma bactéria no sangue do bebê. O Departamento de Vigilância em Saúde, aguarda resultados de exames complementares para identificar a causa da morte.

O último levantamento epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde do Rio, referente ao mês de maio, mostrou ainda que Campos é a segunda cidade do estado com maior Índice de Infestação Predial de Aedes aegypti. O município com o maior Índice de Infestação foi Piraí (4,7%), e depois de Campos, com 4,4%, aparece Rio Bonito (3,7%), Volta Redonda (3,6%), Conceição de Macabu (3,0%), Iguaba Grande (3,0%) e Três Rios (3,0%).

Mais do SFn