Câmera registra abordagem policial abusiva em Cantagalo; revoltado, patrão de motoboy postou vídeo em rede social

Roberto Carlos, que trabalha de entregador em uma farmácia no município, foi abordado quando chegava ao local de trabalho

Uma câmera de segurança registrou o momento em que um motoboy foi abordado de forma abusiva por policiais militares no município de Cantagalo, na Região Serrana do Rio. O caso aconteceu nesta quinta-feira (03/12), e ganhou repercussão após o vídeo ter sido publicado nas redes sociais pelo patrão do motoboy. Nas imagens, Roberto Carlos, de 29 anos, leva um tapa de um dos policiais. Ele trabalha como entregador há quatro anos em uma farmácia, e chegava ao local de trabalho quando foi abordado. O “motivo” seria o fato de o rapaz estar levando um amigo na moto, que estava sem capacete. “Mas, isso não justifica tamanha agressão verbal e física comigo. Foi tapa e chute” – disse ao SF Notícias.

O vídeo foi compartilhado nas redes sociais pelo patrão de Roberto, Sérgio Oliveira, que se revoltou com a cena. “É impressionante como essa cena se repete, cada dia com mais frequência. Estou tentando entender até agora o porquê de tanta violência e falta de respeito com um cidadão, que se pode ver claramente no vídeo, em momento algum esboçou nenhuma reação nem física e nem verbal com os policiais. Apontar um fuzil para um cidadão em pleno centro da cidade, em frente do seu trabalho e uniformizado? É possível claramente na abordagem o rapaz ser chutado e tomar um tapa na cabeça, mesmo obedecendo a ordem dos policiais. Isso foi racismo e abuso de poder. Se ele fosse culpado por alguma coisa deveria ter sido preso né? – diz a publicação.

continua após o vídeo

“O que me agrediu estava totalmente descontrolado, me xingando, falando que ia quebrar meus dentes. E tudo isso por causa de um garupa sem capacete. Meu amigo estava atrasado para o serviço e pelo fato de ter um coração bom, não hesitei em levar o meu amigo” – relatou o motoboy. “Não sou bandido, sou trabalhador, todo mundo me conhece aqui na cidade, aonde eu moro e sempre vivi. Tanto que tenho dois serviços e uma empresa particular. Em momento algum eles me deram ordem de parada. Em momento algum eu dei fuga em polícia, que fique claro” – completou. Roberto disse ainda que foi orientado a procurador o Ministério Público, o que deve fazer na próxima segunda-feira (07).

Em nota a assessoria de comunicação da Polícia Militar informou que, no dia 03/12/2020, policiais militares estavam em patrulhamento pelo Centro do município de Cantagalo quando notaram duas pessoas trafegando em uma motocicleta, estando o garupa sem capacete. “A ordem de parada feita pelos policiais foi desrespeitada. Posteriormente, o motociclista foi alcançado. Ele foi liberado após a abordagem e um auto de infração foi gerado pelo descumprimento do Artigo 195 do Código de Trânsito Brasileiro. Um procedimento apuratório interno será instaurado para averiguar a ocorrência” – diz a nota.

A postagem gerou dezenas de comentários e compartilhamentos nas redes sociais. “Um cara super gente boa não merece passar por isso; trabalhador, chefe de família. Revoltante isso!”; “Mais um ato de covardia dos nossos queridos policiais de Cantagalo, que são pagos para nos defender. Os valores estão se invertendo, continuam batendo em trabalhadores. Tá na hora das “autoridades” competentes fazer alguma coisa”; “O rapaz é trabalhador e não tem necessidade de passar por isso. Infelizmente isso acontece toda hora em Cantagalo. Falta de respeito. Policiais assim não me representam. Quero ver algum político de Cantagalo vir agora defender o rapaz. Cadê os vereadores? E o prefeito?”; “Passei por isso há pouco tempo também. Agressão física e verbal, é muito triste para nós e nossos familiares, muito humilhante”, dizem alguns dos comentários.

VEJA MAIS

VEJA MAIS