Buenos Aires: meca universitária para estudantes estrangeiros

Como melhor cidade para estudar na região, Buenos Aires busca agora conquistar um novo mercado – o da China

Segundo a consultoria britânica Quacquarelli Symonds, a cidade de Buenos Aires foi escolhida em 2019, pelo quinto ano consecutivo, como o melhor destino da América Latina para estudar. De fato, a capital argentina oferece inúmeros atrativos para estudantes estrangeiros e isso vem se refletindo nas mais respeitadas classificações internacionais. Segundo dados oficiais divulgados pelo jornal o Clarín, em 2019 chegaram à cidade 13% mais estudantes internacionais do que em 2018 – ano que já somava 90 mil. 78% vieram da América Latina, 13% da Europa e 8% da América do Norte.

“Eles vêm pelo reconhecimento global da qualidade das universidades argentinas, de nossos professores e da excelência acadêmica, bem como pela valorização de nossos profissionais pelo mercado de trabalho, tanto local quanto internacional ”, afirma María Eugenia Napolitano, Diretora do Departamento de Relações Internacionais da UCEMA (Universidad del Cema).

“A relação entre o custo e a qualidade de vida que a cidade oferece é outro atributo muito valorizado pelos estudantes na hora de escolher um local de destino. A nossa cultura, essa mistura latina e europeia, o calor que nos caracteriza como anfitriões, é algo que sempre chama a atenção. Somos, sem dúvida, um local muito atraente para quem procura uma educação universitária de qualidade e uma ótima cidade para se divertir e se desenvolver ”, afirma Napolitano.

Entre os estudantes internacionais, ou seja, aqueles que escolheram especificamente a cidade para estudar, existem os que vêm para programas de curta duração – como intercâmbios, programas de verão, cursos de disciplinas específicas – que são a maioria. Em 2018, por exemplo, cerca de 70 mil estudantes internacionais chegaram para fazer cursos de duração inferior a um ano. Além destes, um grupo menor – mas muito significativo – desembarca em Buenos Aires para cursar a graduação e a pós-graduação, permanecendo na cidade por um período mais extenso.

Expansão do mercado
Como melhor cidade para estudar na região, Buenos Aires busca agora conquistar um novo mercado – o da China. “Para continuar a manter uma posição de liderança, precisamos ser uma cidade com uma maior diversidade de nacionalidades. Com a China já iniciamos o processo de forma muito proativa. Sabemos que leva tempo, mas sem dúvida é o maior mercado e não podemos ficar para trás. A Austrália é hoje um país que faz da educação internacional sua terceira fonte de divisas, graças a uma estratégia voltada para a China. Hoje eles também estão se diversificando e vêm buscar talentos na nossa região ”, explica Fernando Straface, Secretário Geral e Relações Internacionais da Cidade de Buenos Aires.

“São vários os motivos que explicam o desempenho da cidade. Primeiro, o fator qualidade de vida em Buenos Aires. Na verdade, quando se mede “Ponto de vista do estudante”, a cidade ocupa o 14º lugar globalmente: os estudantes valorizam a vida cultural, a vida noturna e a abertura dos portenhos. Nisso estamos acima de cidades como Sydney ”, diz Straface. Nesse sentido, o secretário concorda que “A variável ‘custo’ sempre influencia, mas lideramos na região há cinco anos, mesmo em uma época que não tínhamos a competitividade cambial atual.”

Buenos Aires melhora a cada ano no ranking de melhor destino de estudo

Em 2017, Buenos Aires ocupava a 42ª colocação no ranking global QS Best Student Cities – em 2019, passou para a 31º. Esta posição consolida a capital argentina como a melhor da América Latina, 22 posições acima da mais próxima, que é a Cidade do México, em 53ª. colocação. Existem apenas três cidades de língua espanhola no Top 50 de melhores destinos para estudar: Madrid, Barcelona e Buenos Aires. Para elaborar o ranking, o QS leva em consideração parâmetros como o nível acadêmico das universidades de uma cidade, o número e a diversidade de alunos, o quão desejável e acessível é do ponto de vista econômico, a qualidade de vida, a segurança, entre outros. Além de Buenos Aires e Cidade do México, destinos como Santiago e São Paulo aparecem em 54º. e 76º. lugares, respectivamente. A tabela global é liderada por Londres, seguida por Tóquio, Melbourne, Munique, Berlim e Montreal.

Buenos Aires se destaca também por ter uma ótima classificação em relação ao número de universidades ranqueadas no QS, ocupando a posição de número 13. Ou seja, apenas 12 cidades no mundo têm mais e melhores universidades. Claro, a Universidade de Buenos Aires (UBA) tem muito a ver com isso, com seu bom desempenho no ranking acadêmico – a instituição aparece na 66ª. posição do QS 2021, já publicado, levantando a cidade.

VEJA MAIS

VEJA MAIS