Brasil fica em 60º lugar no ranking de educação da OCDE

escola2
Fotos: Reprodução da Internet.

Foi divulgado ontem (13), em Paris, o ranking atualizado de educação da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico. Para montar o ranking, a OCDE considerou 76 países, focando nos benefícios econômicos da educação. O país que ficou em primeiro lugar foi Cingapura, seguido de Hong Kong, Coreia do Sul, Japão e Taiwan. Os europeus Finlândia, Estônia, Suíça e Holanda vêm na sequência, enquanto o Canadá completa o TOP10. Considerado potência em quase todas as áreas, os Estados Unidos aparecem no 28º lugar. O Brasil está em 60º. Na ponta de baixo do ranking, dos países africanos fecham a lista: África do Sul, em penúltimo, e Gana, na última colocação.

De acordo com a OCDE, o Produto Interno Bruto (PIB) dos países ranqueados seria, em média, 3,5% superior ao esperado, nos próximos oitenta anos, se até 2030 os países conseguirem manter escolarizados, com um nível básico de conhecimentos, todos os estudantes de 15 anos. No caso do Brasil, de 2003 para 2012, aumentou de 56% para 78% a quantidade de alunos escolarizados com a idade citada. Se a média prevista pela CODE for alcançada, o PIB anual do Brasil seria, em média, 16,1% superior.

Num estudo Pisa (Programme for International Student Assessment – Programa Internacional de Avaliação de Estudantes) feito em 2012, que foi tomado como referência, os adolescentes brasileiros de 15 anos alcançaram média de 405 pontos em ciências e 391 pontos em matemática. O programa avalia os conhecimentos dos alunos nas duas disciplinas, e considera que 420 pontos é a quantidade mínima que deve ser alcançada. Um bom exemplo de suceso é o da Polônia, que em menos de uma década conseguiu reduzir de 22% para 14% o número de alunos que não alcançaram os 420 pontos. O Brasil também foi citado, pois além de aumentar a escolaridade de alunos aos 15 anos, conseguiu um considerável aumento na qualificação dos estudantes que passaram pelo exame. Apesar da média ainda ser inferior à esperada, já está mais próxima da pontuação ideal.

Mais do SFn