sexta-feira , 30 outubro 2020

Boatos em São Fidélis: falsa enfermeira passando HIV

São Fidélis foto Vinnicius Cremonez 2
Fotos: Vinnicius Cremonez/Campos 24h

Uma mensagem que começou a ser espalhada nas redes sociais em São Fidélis, sobre uma mulher vestida de enfermeira no centro da cidade dizendo fazer testes de glicose, mas estaria injetando o vírus HIV nas pessoas, trouxe muita preocupação à população e a nossa redação recebeu vários e-mails e mensagens solicitando informações sobre o assunto.

”A Vigilância Sanitária mandou  avisar que uma mulher está no centro da cidade pedindo para as pessoas fazerem o teste de glicose. Não façam , ela está passando o vírus HIV”. Frase compartilhada nas redes sociais.

Procuramos a Policia Militar que nos informou que a denúncia não procede e a população poderia ficar tranquila, pois isso seria apenas boato.

Vigilância em Saúde foto Vinnicius CremonezUma história nesse tom já é mais do que suspeita. Ao fazer uma busca na internet sobre o assunto, descobrimos que o boato não é apenas na cidade poema;  começou a se espalhar em Brasília e foi se espalhando pelos estados e municípios do Brasil.

Só o fato da mesma história, que não cita fontes, cheia de erros de ortografia e que acontece em diversos lugares nos faz pensar em duas possibilidades: é mentira ou existe uma quadrilha de enfermeiras loucas que estaria atacando por todo Brasil ?

A população pode ficar tranquila, pois a ” enfermeira do HIV” não está à solta.

Uma história parecida aconteceu durante uma manifestação na manhã de ontem(03) em Campos. Uma mulher ainda não identificada, teria ameaçado os estudantes com uma seringa contendo sangue, supostamente contaminada com o vírus da Aids.

sdfghhjyjSegundo pais de alunos, a suposta mulher teria fugido em direção a um matagal na comunidade da Ilha do Cunha, e que algumas pessoas perseguiram a mesma, que conseguiu fugir. Policias que estavam na manifestação informaram que já estão cientes do caso, mas que ela ainda não foi identificada.

Assim como nos boatos que circulam em São Fidélis, a tal enfermeira vista em campos era morena, tinha entre 30 e 35 anos de idade e estava com um jaleco, além de ser magra e alta.

A pergunta que não quer calar. Essa mulher realmente existe ?

 

 

Mais do SFn