Através de vaquinha online pais conseguem valor para custear tratamento de bebê que tem síndrome rara, em São Fidélis

Ontem a mãe do bebê, que trabalha como Guarda Municipal em Pádua há 7 anos, disse estar com medo de não conseguir o valor, pois a venda da rifa tinha enfraquecido. Mas nesta terça ela se surpreendeu ao ver que a vaquinha online ultrapassou a quantia necessária para o tratamento
Fotos: Arquivo pessoal

A Ligiane Gomes e o marido Luis Henrique Bonfim, moradores de São Fidélis, no Norte Fluminense, receberam o orçamento do tratamento que pode mudar a vida do pequeno Pedro Henrique Gomes Bonfim, de 1 ano e 8 meses. As doses do hormônio adrenocorticotrófico, o ACTH, o medicamento mais antigo aprovado para o tratamento da síndrome de West, vão custar quase R$ 6.500,00, cerca de R$ 292,53 por ampola. Ligiane e o marido começaram a vender uma rifa, de uma cesta de chocolates, com itens doados por integrantes e familiares de guardas de Pádua. Mas, na noite de ontem, Ligiane entrou em contato com o SF Notícias, informando que a venda da rifa havia caído e dizendo estar com medo de não conseguir o valor para comprar o medicamento. Entretanto, na manhã desta terça-feira (23/03) ao consultar o site da vaquinha virtual, que também foi criada para ajudar a arrecadar o valor para o tratamento, Ligiane, que é Guarda Municipal em Pádua teve uma surpresa.

Segundo ela, até ontem o valor arrecadado na vaquinha virtual era de cerca de R$ 2 mil, mas nesta terça, ultrapassou os R$ 7 mil, mais que o suficiente para custear o medicamento. “Eu não tinha aberto hoje ainda. Ontem estava 2 mil. Deus seja louvado” – disse Ligiane ainda sem acreditar. Agora, a matéria que seria um pedido de ajuda de pais que sonham em ver o filho ter uma vida normal, como de outras crianças da mesma idade, se torna um agradecimento. “Agradeço de todo meu coração a todos que contribuíram de forma direta e indireta para que o meu filho pudesse receber esse tratamento. Eu não tenho palavras para expressar a gratidão que tenho a cada um de vocês. O pouco com Deus é muito e sei que Ele está conosco a todo instante. A nossa alegria se faz com as orações também recebidas. E peço que independente da sua fé, que ore pela recuperação total do Pedro” – disse Ligiane.

O Pedro Henrique receberá o tratamento para a síndrome de West, causada por complicações no parto. Na gravidez Ligiane teve pré-eclâmpsia e no parto, o Pedro teve asfixia intra-uterina. “Essa falta de oxigenação cerebral deixou ele com sequelas no cérebro, vindo a causar paralisia cerebral e como consequência a síndrome de West. Ele ficou 2 meses internado quando nasceu e desde então faz acompanhamento neurológico” – relata a mãe. Mesmo com o uso das medicações prescritas, Pedro apresenta frequentes crises convulsivas, que ocorrem dia e noite. A síndrome, que é rara, gera atraso no desenvolvimento da criança, na fala, aprendizado, e parte motora. Pedro ainda não engatinha, não anda e não fica sentado sozinho. “O médico sugeriu o tratamento de ACTH. É um hormônio que a gente tem que importar ele dos Estados Unidos para que Pedro possa ser beneficiado. São ampolas que são aplicadas durante um período, a quantidade de ampolas e a quantidade de dias, vai depender do que o médico prescrever. É um tratamento, um ciclo” – relata Ligiane. Ela vai encerrar a venda da rifa. O sorteio acontecerá pelo Facebook no dia 4 de abril AQUI.

VEJA MAIS

A história de Romário, o Baixinho artilheiro

Eternizado por seus gols e atuações na Copa do Mundo de 1994, quando foi campeão e eleito o melhor jogador, Romário é considerado um dos maiores centroavantes da História do futebol brasileiro e mundial

VEJA MAIS