quinta-feira , 24 setembro 2020

Ambiental encontra cerâmicas funcionando de forma irregular em Campos Os responsáveis pelas cerâmicas não possuíam as licenças ambientais pertinentes para funcionamento. Quatro pessoas foram encaminhadas para a delegacia

Os responsáveis pelas cerâmicas não possuíam as licenças ambientais pertinentes para funcionamento. Quatro pessoas foram encaminhadas para a delegacia

Fotos: Divulgação

Agentes da 3ª Unidade de Polícia Ambiental do Parque Estadual do Desengano encontraram duas cerâmicas funcionando de forma irregular em Campos, no Norte Fluminense, totalizando 25.000 m² de área degradada. Segundo a Polícia Ambiental, os policiais foram aos empreendimentos para fiscalizar possível existência de atividade potencialmente poluidora. As duas ficam em Saturnino Braga, na Baixada Campista. Em uma delas, dois homens foram encaminhados à delegacia. Eles não possuíam o licenciamento ambiental (LOs do INEA da cerâmica e do barreiro), nota fiscal da lenha (eucalipto), autorização do DNPM e licença municipal. (continua após a publicidade)

Na outra cerâmica, outros dois homens também foram encaminhados para a delegacia. Segundo a Polícia Ambiental, os responsáveis não apresentaram as licenças ambientais pertinentes. Eles informaram aos policiais que deram entrada nos pedidos, mas que até o presente momento, não as possuíam. Os casos foram registrados na 134ª Delegacia Legal do Centro de Campos, com base no Artigo 60 da Lei 9605/98. As duas cerâmicas serão periciadas.

Mais do SFn