Alerta! Risco de cabeças d’água em cachoeiras aumenta no verão

As cabeças d’água ocorrem quando chove na cabeceira (nascente) de um rio ou em trechos mais altos de seu percurso, ampliando rapidamente seu fluxo

O risco de cabeças d’água em cachoeiras aumenta no verão, já que o período entre outubro e março é o de maior incidência de chuvas, podendo chover até 80% de toda a pluviosidade do ano. As cabeças d’água ocorrem quando chove na cabeceira (nascente) de um rio ou em trechos mais altos de seu percurso, ampliando rapidamente seu fluxo. O nível das águas pode subir vários metros em poucos segundos. Também é no verão que, com o aumento das temperaturas, moradores da região buscam as cachoeiras/ rios para se refrescar, mas ao aproveitar a natureza, é preciso ficar atento aos seus sinais.

Tem Instagram ❓❓ Siga o SF Notícias no Insta > @sfnoticias

Um exemplo são as cabeças d’água registradas na cachoeira do Parque Aquático de Cambuci. No último dia 11 o fenômeno foi registrado novamente, devido às fortes chuvas registradas ao longo do Valão Dantas, na zona rural. Foi a terceira vez em menos de um mês que uma cabeça d’água provocou inundação no parque aquático do município. No dia 18 de dezembro de 2021, dia em que o parque seria reaberto após ficar meses fechado devido à última enxurrada no local, o parque aquático foi tomado novamente pela água, provocando nova destruição. No último dia 08/01 o fato voltou a se repetir.

continua após o vídeo

A orientação é evitar o banho em rios e cachoeiras durante e após períodos de chuva, pois existe um grande risco de deslizamentos de terra, raios, quedas de árvores e em casos mais graves, o risco de ser arrastado pela enxurrada. Ao perceber que o tempo está mudando é melhor sair da água, pois, ainda que não chova no local em que você está, pode estar chovendo em um ponto acima. É importante também observar o comportamento do curso d’água, se o volume está aumentando, se a água está trazendo mais folhas e galhos. Em caso de emergência a orientação é acionar a Defesa Civil (199) ou Corpo de Bombeiros (193).

VEJA MAIS

VEJA MAIS