Alerj rejeita projeto que autorizava ‘lockdown’ em todo estado do Rio A proposta, de autoria do deputado Renan Ferreirinha (PSB), foi arquivada, e o único voto favorável foi do autor da proposta

A proposta, de autoria do deputado Renan Ferreirinha (PSB), foi arquivada, e o único voto favorável foi do autor da proposta

Foto: reprodução

Por 55 votos contrários, 13 abstenções e um voto favorável, a maioria dos parlamentares da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) rejeitou o projeto de lei que autorizava o governo do Estado a decretar medidas mais rígidas, conhecida como ‘lockdown’, em todo o estado, como meio de parar a proliferação da Covid-19. A votação aconteceu de forma virtual devido à pandemia do novo coronavírus. A proposta, de autoria do deputado Renan Ferreirinha (PSB), foi arquivada, e o único voto favorável foi do autor da proposta. Na avaliação de Dr. Serginho (Republicanos), o isolamento total agrava ainda mais a crise socioeconômica, diante do fechamento prolongado de comércios e indústrias. “Queremos a reabertura imediata dos comércios com responsabilidade, critérios para resguardar a saúde das pessoas. O confinamento obrigatório é absurdo”, afirmou. Em tom exaltado, Alana Passos (PSL) se posicionou contrária ao fechamento total e afirmou que a corrupção no governo tem matado mais do que o coronavírus. “Infelizmente, temos grandes números de mortos nas estatísticas por irresponsabilidade do governador e da má gestão dos recursos públicos. Eu sei o que é ver um filho pedir e você não ter para dar. É preciso dar condições para as pessoas trabalharem”, pediu a deputada.

Segundo a proposta, o estado poderia adotar a suspensão expressa de todas as atividades não essenciais à manutenção da vida e da saúde, limitar as reuniões de pessoas em espaços públicos ou privados abertos ao público, além de regulamentar os serviços públicos e atividades essenciais. Ainda de acordo com o projeto, o estado poderia proibir a circulação de veículos particulares, exceto para a compra de alimentos ou medicamentos, para transporte de pessoas para atendimento à saúde, para desempenho de atividades de segurança ou para realizar itinerários de serviços essenciais.

Mais do SFn